Fonte: Valor Econômico
Mariana Caetano | De São Paulo

Formada em abril de 2013 por meio de uma joint venture entre a goiana Boa Safra Sementes e os grupos mato-grossenses Fiagril e SinAgro, a Serra Bonita Sementes fará sua estreia comercial neste ano e se prepara para produzir cerca de 600 mil sacas de 40 quilos de sementes de soja visando sobretudo ao plantio da safra 2014/15, que ganhará fôlego no país a partir de setembro. Neste ciclo 2013/14, cuja colheita está em andamento, a produção brasileira da oleaginosa deverá alcançar o recorde de 90 milhões de toneladas, conforme as estimativas mais recentes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

De acordo com Ivandro Granetto, diretor-geral da Serra Bonita Sementes, o grande trunfo da nova companhia é sua estrutura comercial. “Toda a nossa produção já tem destino certo: será comercializada pelas revendas que a Fiagril e o Grupo SinAgro já possuem em Estados como Mato Grosso, Bahia e Tocantins”.

As duas empresas, que atuavam prioritariamente na distribuição de insumos e na prestação de serviços agrícolas – a exemplo de operações de barter (troca) e comercialização -, associaram-se à Boa Safra Sementes para abocanhar um elo a mais da cadeia de grãos. Juntas, as três empresas que criaram a Serra Bonita Sementes faturam cerca de R$ 4 bilhões por ano. A expectativa é que a nova empresa, sozinha, obtenha uma receita de R$ 80 milhões na safra 2013/14, montante que poderá chegar a R$ 300 milhões no ciclo 2015/16.

A sede administrativa da Serra Bonita está localizada em Formosa (GO), enquanto as áreas de produção de sementes estão situadas nos municípios de Unaí e Buritis, ambos no Estado de Minas Gerais. Aos cerca de 13 mil hectares que já pertenciam à Boa Safra Sementes, foram incorporados outros 4 mil hectares. A meta é expandir a área para 20 mil hectares, sendo 10 mil irrigados – atualmente, só 4 mil hectares contam com irrigação.

Segundo Granetto, a região onde os plantios da Serra Bonita se concentram possui condições consideradas ideais para a produção de sementes. “A temperatura média fica em torno de 22ºC, a umidade relativa de 50% é perfeita e a altitude é privilegiada, em torno de 1,1 mil metros”, afirmou. A colheita terá início em janeiro e a empresa manterá em campo um time de 120 engenheiros agrônomos para oferecer assistência aos produtores.

Para 2014, está previsto um investimento de cerca de R$ 40 milhões em uma nova unidade de beneficiamento de sementes (UBS) em Buritis. A planta, que contará com alta tecnologia de produção, de acordo com Granetto, abrirá caminho para que a Serra Bonita alcance uma capacidade instalada suficiente para ofertar 3 milhões de sacas de sementes de soja. A expectativa é já estar produzindo ao menos 2 milhões de sacas na safra 2015/16. Além da oleaginosa, a meta é apostar também em sementes de milho e feijão.